Parcele em 4 vezes sem juros - (11) 97662-9898

Guardanapo de tecido Estúdio Avelós

R$ 29,00 Preço normal 4x sem juros de R$ 7,25

Tipo de Produto: Guardanapos

Fora de estoque
Indisponível
Or

Os guardanapos de pano criados pelo Estúdio Avelós são feitos em tear manual no interior de Minas Gerais, com fios 100% algodão, e tingidos com tecnologia de ponta, que não desbota. Coordenado pela jornalista Zizi Carderari, especialista em design têxtil, o Estúdio Avelós desenvolve produtos inspirados nas raízes de regiões brasileiras.

 

A proposta é usar a mão de obra dos locais pesquisados e respeitar os valores de sustentabilidade, gerando renda para essas comunidades. A cidade mineira de Carmo do Rio Claro tem como tradição roçar, tingir e tecer, e é neste local que os tecelões trabalham suas urdideiras e teares para criar esses guardanapos em tecido, com design exclusivo.

 

Este guardanapo de tecido pode contar muitas histórias e foi pensado para compor uma mesa elegante e contemporânea, em conjunto com o jogo americano ou a passadeira de mesa.

Os guardanapos são feitos por tecelões em tear manual, com fios 100% algodão, no interior de Minas Gerais. Para o desenvolvimento dos guardanapos de pano, Zizi pesquisou fiação e tingimento com tecnologia de ponta, que dão uma coloração exclusiva às peças, e resistência e maciez aos tecidos. O tingimento não desbota. Venda por unidade.

O design dos guardanapos inspira-se nas raízes brasileiras, trazendo contemporaneidade e, ao mesmo tempo, um toque retrô para sua cozinha e sua casa.


- Disponível na cor branco com listras nas cores azul ou vermelha.


- Os guardanapos podem ser lavados em máquina e secados em secadoras.

- Medidas aproximadas do guardanapo de tecido: Comprimento 50 cm e Altura 50 cm

- Preso aproximado do guardanapo de tecido: 70 gramas.


Fotos ambientadas: Manu Oristanio. Produção: Zizi Carderari


Sobre o Estúdio Avelós - O Estúdio Avelós, coordenado pela jornalista Zizi Carderari, cria e desenvolve produtos para casa inspirados nos costumes de regiões brasileiras. Tem a proposta de usar mão de obra de comunidades de regiões como Minas Gerais, respeitando valores de sustentabilidade e possibilitando geração de renda para as comunidades.